quarta-feira, 25 de março de 2020

Governadores criticam Bolsonaro, falam em demissão de Mandetta e impeachment

Resultado de imagem para fotos de fatima bezerra
Governadora do RN, Fátima Bezerra
O discurso do presidente Jair Bolsonaro, sobre o coronavírus,  proferido na noite de ontem (24), em cadeia nacional de rádio e televisão, provocou grandemente uma reação contrária dos mais diferentes segmentos da sociedade brasileira, inclusive de aliados do presidente. Os governadores dos estados afirmaram que o presidente está fora da realidade sobre o coronavírus.

Governadores criticaram  o pronunciamento de Jair Bolsonaro, em rede nacional na noite desta terça-feira (24), e dizem que o ministro da Saúde, Luis Henrique Mandetta, perdeu legitimidade no governo.

O presidente na contra mão da luta contra o vírus, voltou a se referir ao coronavírus como 'gripezinha', disse que  o isolamento é exagero, criticou os gestores que optaram por fechar escolas e culpou a imprensa pelo que chama de histeria.

Segundo o Ministério da Saúde, 46 pessoas já morreram e mais de 2.000 já foram infectadas.

O governador do Espírito Santo, Renato Casa Grande, afirmou que a fala indica "que estamos sem direção".  "Os governadores precisam se reunir,  estamos sem coordenação.  Os ministros e os governadores de um lado e o presidente menosprezando a pandemia, de outro", disse. O discurso, segundo o capixaba, desautoza ainda o trabalho do ministro Mandetta. "O ministro não tem legitimidade para permanecer  mais no ministério", disse.

Flávio Dino, governador do Maranhão, "avalia que Bolsonaro perdeu a governabilidade".  "Ele mesmo deflagou o seu próprio processo de impeachment. Está completamente fora da realidade", afirmou.

"No Piaui tive que tomar medidas duras de suspender cirurgias marcadas, de casos importantes, seguindo orientações do ministro da Saúde do seu governo para garantir vagas para quem pudesse precisar por causa do coronavírus.  Não se faz isso por uma gripezinha". "Sei que as pessoas terão prejuizo, mas há algo em primeiro lugar agora, é a vida humana. Vamos seguir com o isolamento social onde for necessário, com a ciência e com Deus", comentou o governador.

Fátima Bezerra, governadora do Rio Grande do Norte, disse que a declaração "é de uma perplexidade sem tamanho, é inaceitável e lamentável".

"Confesso que depois da iniciativa do presidente de ter atendido  os governadores, achei que fosse mudar", disse ela. " E ai hoje, ele vem com essa postura e com esse conteúdo, totalmente na contra mão de todas as medidas que, com tanto esforço e responsabilidade, os governadores e prefeitos vem enfrentando a pandemia"?

A gestora afirmou que os cuidados estão recomendados em todo mundo e que o país precisa de união contra a doença.  "Espero que o presidente  não insista nesse caminho", disse ela.

Com informações do UOL - Folha de S. Paulo

0 comentários:

Postar um comentário

Sua postagem dependerá do Moderador do Blog.

Não publicamos comentários sem assinatura (Anônimos).

Obrigado pelo comentário. Sua ajuda faz nosso trabalho melhor.
_____________________________
Equipe do Blog do Silvério Alves

LAPAC

LAPAC

.ESPAÇO FABRÍCIA LAINE

.ESPAÇO FABRÍCIA LAINE

AUTORIZA SEGUROS

AUTORIZA SEGUROS

UNIFARMA BENTO

UNIFARMA BENTO

SALVAGGIO PERFUMES

SALVAGGIO PERFUMES
Instagram: @SALVAGGIOPERFUMES

DR. KARSON

DR. KARSON

Arquivo

Tecnologia do Blogger.