sábado, 30 de março de 2019

Suspensa liminar que impedia governo de comemorar golpe de 64

t
A desembargadora Federal Maria do Carmo Cardoso, do TRF da 1ª região, suspendeu liminar em ACP que determinava que a União se abstivesse de comemorar o golpe de 1964 no dia 31 de março deste ano.
Para a magistrada, determinação do presidente Jair Bolsonaro não viola o princípio da legalidade.
Ação
Em ACP, a DPU asseverou “ser de conhecimento público os horrores relacionados ao período ditatorial”, e destacou relatórios da Comissão da Verdade do Brasil, que funcionou entre 2012 e 2014, “em que foram ouvidas vítimas da ditadura, familiares de pessoas que desaparecidas ou mortas no período, comitês de memória, entidades de direitos, entre outras organizações, a respeito das violações aos direitos humanos do regime militar”.
A DPU também sustentou que a determinação de Bolsonaro contraria princípios constitucionais, em especial, o da legalidade, “por infringir o disposto na Lei nº 12.345/2010, segundo a qual a instituição de datas comemorativas que vigorem em todo território nacional devem ser objeto de projeto de lei”.
Ao atender pedido e acatar os argumentos da DPU, a juíza Federal Ivani Silva da Luz, da 6ª vara do DF, deferiu tutela para determinar que a União se abstenha de comemorar a implantação da ditadura no Brasil e o golpe de 64.
Neste sábado, a desembargadora Federal, deu provimento a recurso da AGU contra a decisão desta sexta-feira.
Embora tenha reconhecido que o tema é sensível, a magistrada entendeu que a determinação de Bolsonaro não fere o princípio da legalidade.
“Não visualizo, de outra parte, violação ao princípio da legalidade, tampouco violação a direitos humanos, mormente se considerado o fato de que houve manifestações similares nas unidades militares nos anos anteriores, sem nenhum reflexo negativo na coletividade.”
Assim, determinou a suspensão da execução da liminar na ACP e de liminar em ação popular sobre o mesmo tema.
  • Processo: 0000038-80.2019.4.01.0000
"Comemoração"
A determinação de Bolsonaro foi confirmada pelo porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros, na última segunda-feira, 25. Segundo ele, o presidente ordenou ao Ministério da Defesa que faça as "comemorações devidas" pela “data histórica”.
A ordem do presidente também foi questionada em ação popular.
O MPF se manifestou ressaltando que agentes da ditadura militar violaram direitos de brasileiros entre 1964 e 1985. Em nota pública, a PGR pontuou ser "incompatível com o Estado Democrático de Direito festejar um golpe de Estado e um regime que adotou políticas de violações sistemáticas aos direitos humanos e cometeu crimes internacionais."

Paulo Coelho: Fui torturado pela ditadura do Brasil. É isso que Jair Bolsonaro quer celebrar?

Em texto publicado no The Washington Post, um dos maiores jornais do mundo, o escritor Paulo Coelho relata as torturas que sofreu durante a ditadura militar no Brasil, em contraposição à proposta de Bolsonaro de comemorar o golpe de 1964. Segue o texto. 


Por Paulo Coelho

28 de maio de 1974: um grupo de homens armados invade meu apartamento. Começam a revirar gavetas e armários – não sei o que estão procurando, sou apenas um compositor de rock. Um deles, mais gentil, pede que os acompanhe “apenas para esclarecer algumas coisas”. O vizinho vê tudo aquilo e avisa minha família, que entra em desespero. Todo mundo sabia o que o Brasil vivia naquele momento, mesmo que nada fosse publicado nos jornais.
Sou levado para o DOPS (Departamento de Ordem Política e Social), fichado e fotografado. Pergunto o que fiz, ele diz que ali quem pergunta são eles. Um tenente me faz umas perguntas tolas, e me deixa ir embora. Oficialmente já não sou mais preso: o governo não é mais responsável por mim. Quando saio, o homem que me levara ao DOPS sugere que tomemos um café juntos. Em seguida, escolhe um táxi e abre gentilmente a porta. Entro e peço para que vá até a casa de meus pais – espero que não saibam o que aconteceu.
No caminho, o táxi é fechado por dois carros; de dentro de um deles sai um homem com uma arma na mão e me puxa para fora. Caio no chão, sinto o cano da arma na minha nuca. Olho um hotel diante de mim e penso: “não posso morrer tão cedo.” Entro em uma espécie de catatonia: não sinto medo, não sinto nada. Conheço as histórias de outros amigos que desapareceram; sou um desaparecido, e minha última visão será a de um hotel. Ele me levanta, me coloca no chão do seu carro, e pede que eu coloque um capuz.
O carro roda por talvez meia hora. Devem estar escolhendo um lugar para me executarem – mas continuo sem sentir nada, estou conformado com meu destino. O carro para. Sou retirado e espancado enquanto ando por aquilo que parece ser um corredor. Grito, mas sei que ninguém está ouvindo, porque eles também estão gritando. Terrorista, dizem. Merece morrer. Está lutando contra seu país. Vai morrer devagar, mas antes vai sofrer muito. Paradoxalmente, meu instinto de sobrevivência começa a retornar aos poucos.
Sou levado para a sala de torturas, com uma soleira. Tropeço na soleira porque não consigo ver nada: peço que não me empurrem, mas recebo um soco pelas costas e caio. Mandam que tire a roupa. Começa o interrogatório com perguntas que não sei responder. Pedem para que delate gente de quem nunca ouvi falar. Dizem que não quero cooperar, jogam água no chão e colocam algo no meus pés, e posso ver por debaixo do capuz que é uma máquina com eletrodos que são fixados nos meus genitais.
Entendo que, além das pancadas que não sei de onde vêm (e portanto não posso nem sequer contrair o corpo para amortecer o impacto), vou começar a levar choques. Eu digo que não precisam fazer isso, confesso o que quiser, assino onde mandarem. Mas eles não se contentam. Então, desesperado, começo a arranhar minha pele, tirar pedaços de mim mesmo. Os torturadores devem ter se assustado quando me veem coberto de sangue; pouco depois me deixam em paz. Dizem que posso tirar o capuz quando escutar a porta bater. Tiro o capuz e vejo que estou em uma sala a prova de som, com marcas de tiros nas paredes. Por isso a soleira.
No dia seguinte, outra sessão de tortura, com as mesmas perguntas. Repito que assino o que desejarem, confesso o que quiserem, apenas me digam o que devo confessar. Eles ignoram meus pedidos. Depois de não sei quanto tempo e quantas sessões (o tempo no inferno não se conta em horas), batem na porta e pedem para que coloque o capuz. O sujeito me pega pelo braço e diz, constrangido: não é minha culpa. Sou levado para uma sala pequena, toda pintada de negro, com um ar-condicionado fortíssimo. Apagam a luz. Só escuridão, frio, e uma sirene que toca sem parar. Começo a enlouquecer, a ter visões de cavalos. Bato na porta da “geladeira” (descobri mais tarde que esse era o nome), mas ninguém abre. Desmaio. Acordo e desmaio várias vezes, e em uma delas penso: melhor apanhar do que ficar aqui dentro.
Quando acordo estou de novo na sala. Luz sempre acesa, sem poder contar dias e noites. Fico ali o que parece uma eternidade. Anos depois, minha irmã me conta que meus pais não dormiam mais; minha mãe chorava o tempo todo, meu pai se trancou em um mutismo e não falava.
Já não sou mais interrogado. Prisão solitária. Um belo dia, alguém joga minhas roupas no chão e pede que eu me vista. Me visto e coloco o capuz. Sou levado até um carro e posto na mala. Giram por um tempo que parece infinito, até que param – vou morrer agora? Mandam-me tirar o capuz e sair da mala. Estou em uma praça com crianças, não sei em que parte do Rio.
Vou para a casa de meus pais. Minha mãe envelheceu, meu pai diz que não devo mais sair na rua. Procuro os amigos, procuro o cantor, e ninguém responde ao meus telefonemas. Estou só: se fui preso devo ter alguma culpa, devem pensar. É arriscado ser visto ao lado de um preso. Saí da prisão mas ela me acompanha. A redenção vem quando duas pessoas que sequer eram próximas de mim me oferecem emprego. Meus pais nunca se recuperaram.
Decadas depois, os arquivos da ditadura são abertos e meu biógrafo consegue todo o material. Pergunto por que fui preso: uma denúncia, ele diz. Quer saber quem o denunciou? Não quero. Não vai mudar o passado.
E são essas décadas de chumbo que o Presidente Jair Bolsonaro – depois de mencionar no Congresso um dos piores torturadores como seu ídolo – quer festejar nesse dia 31 de março.

sexta-feira, 29 de março de 2019

Juíza proíbe governo Bolsonaro de comemorar golpe de 1964


BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) - A juíza Ivani Silva da Luz, da 6ª Vara da Justiça Federal em Brasília, proibiu nesta sexta (29) o governo de Jair Bolsonaro de comemorar o aniversário de 55 anos do golpe de 1964 no próximo domingo (31). 

Ela atendeu a um pedido de liminar apresentado pela Defensoria Pública da União, que alegou risco de afronta à memória e à verdade, além do emprego irregular de recursos públicos nos eventos.
“Defiro o pedido de tutela de urgência para determinar à União que se abstenha da ordem do dia alusiva ao 31 de março de 1964, prevista pelo ministro da Defesa e comandantes do Exército, Marinha e Aeronáutica”, decidiu a magistrada.
Ela determinou que a Defesa seja intimada da ordem. No início da semana, Bolsonaro havia determinado à pasta que o golpe fosse comemorado nos quartéis.
Na prática, várias unidades militares anteciparam as celebrações ao movimento golpista para esta sexta (29), já que o aniversário cairá no domingo.

Naldinho vai falar sobre o corte de algumas árvores, em nossa cidade

Resultado de imagem para fotos de naldinho na radio potengi
O prefeito de São Paulo do Potengi, Naldinho, em conversa com o editor deste blog informou que neste sábado, 30 de março, no programa Prestando Contas ele explicará aos potengienses, os motivos do corte de algumas árvores localizadas na Rua Bento Urbano, próximo ao Mercado Público, em São Paulo do Potengi.

O programa apresentado por esse blogueiro é levado ao ar pela Rádio Potengi AM, todos os sábados a partir das 11 horas. O Prestando Constas, que conta com a participação do gestor municipal também é transmitido ao vivo pelo site da Rádio Potengi.com.br e pelos facebooks: Naldinho Cassimiro de Araújo  e Rádio Potengi.

Teremos outras informações.

Padre Ramos participa do Retiro Anual do Clero da Arquidiocese de Natal, em Pernambuco

A imagem pode conter: 1 pessoa, em pé
Mais de 130 sacerdotes (dentre eles, nosso pároco padre Ramos) acompanhados do arcebispo Dom Jaime Vieira estão participando  desde a última segunda-feira (25), na cidade de Gravatá, Pernambuco do Retiro Anual do Clero da Arquidiocese de Natal. O pregador do Retiro que se encerra nesta sexta-feira (29 de março) é o bispo da Diocese de Parnaíba, Piauí, Dom Juarez Souza da Silva.

Segundo Dom Jaime, o evento religioso é uma obrigação conforme o Direito Canônico e é também uma parada  para a renovação da vocação e da missão dos padres.
A imagem pode conter: 7 pessoas, pessoas sorrindo
A imagem pode conter: 2 pessoas, pessoas em pé
Fotos: PASCOM

Vamos ajudar Angelina a vencer um tumor


Me ajude a vencer o tumor!
Oi, sou Angelina da Silva Souza, casada, mãe de 1  filho e moro em São Paulo do Potengi/RN (Sou casada com André Luiz de Oliveira). Tenho 26 anos e sempre tive uma vida saudável. Porém, há 3 meses fui diagnosticada com câncer em estado Grave. Luto muito por minha vida, por minha saúde, para poder compartilhar mais a vida com minha família e amigos. Mas estou precisando de ajuda para realizar alguns exames, que não estão ao meu alcance financeiro, e que, infelizmente, são bem demorados pelo SUS. E essa demora pode comprometer seriamente meu tratamento. Por isso, estou pedindo sua contribuição, com o que for possível. Agradeço em nome Deus por sua colaboração.

Exames que preciso fazer:
Raio x de Tórax. PA e Perfil R$ 80,00
Exame de lâmina R$ 750,00
Cintolografia óssea R$ 400,00
TC Abnominal total R$ 700,00

Conta bancária de contribuição
Banco do Brasil
Agência: 0984-9
Conta: 25.874-1
Poupança: variação 51
Nome: Antônia B. Silva
Número de contato
(84) 991534900
Facebook Alzair Francisco , André Luiz, Angelina Souza, Ricelly Brandão.

quinta-feira, 28 de março de 2019

Nesta quarta-feira (27) o blog ultrapassou os 4.000 acessos

Nesta quarta-feira, 27 de março, nosso blog ultrapassou a marca dos 4.000 acessos, marca que deixa nossa equipe bastante feliz, pois entendemos que o nosso trabalho está trilhando o caminho certo, tendo como lema a moderação e a credibilidade.

Nosso principal objetivo é divulgar os acontecimentos (especialmente os positivos) da nossa cidade e da região potengiense. Muito nos alegra quando um potengiense que reside fora entra em contato conosco e diz  que mata a saudade e fica sabendo das notícias da terrinha, através do nosso blog. 

Aos nossos milhares de leitores, razão maior da nossa existência, nosso muito obrigado. Continue acessando.

Vamos combater o mosquito da dengue, ele pode matar

A imagem pode conter: uma ou mais pessoas
Para a alegria de todos nós que moramos no semi-árido nordestino, estamos vivendo um bom inverno, porém vale dizer que nesse período cresce a proliferação do mosquito Aedes Aegypti, causador da dengue e de outras doenças perigosas. Portanto precisamos fazer a nossa parte para erradicar o referido e danoso mosquito.

Alguns cuidados são necessários para prevenir a contaminação pelo Mosquito Aedes Aegypti. 
Como por exemplo:
- Coloque desinfetante nos ralos; 
- Evite o acúmulo de água; 
- Coloque tela nas janelas. 
- Coloque areia nos vasos de plantas;
- Seja consciente com seu lixo;
- Coloque desinfetante nos ralos;
- Limpe as calhas, piscinas e aquários.

quarta-feira, 27 de março de 2019

São Paulo do Potengi vai reativar sua Banda de Música

Resultado de imagem para fotos da banda de musica de sao paulo do potengi
A Prefeitura de São Paulo do Potengi  através da Secretaria Municipal da Educação, vai reativar a sua Banda de Música.

As inscrições pra quem desejar participar das aulas de música já estão abertas  na Secretaria de Educação. Alunos a partir dos 10 anos de idade podem fazer suas inscrições. Documentação: RG, CPF e comprovante de residência. O aluno sendo menor leva também os documentos dos pais ou responsáveis.

O prefeito Naldinho garantiu que existe ampla possibilidade da Banda se apresentar no próximo Desfile Estudantil do 7 de Setembro, em nossa cidade.

As aulas começarão na primeira semana de abril vindouro.

Para MPF, o fato de Bolsonaro incentivar a comemoração do Golpe de 1964 pode configurar improbidade

Por Sérgio Rodas (Revista "O Consultor Jurídico")
A Defensoria Pública da União e o Ministério Público Federal questionaram, nesta terça-feira (26/3), a ordem do presidente Jair Bolsonaro para que as Forças Armadas comemorem, neste domingo (31/3), os 55 anos do golpe militar de 1964. Para as entidades, a medida viola princípios constitucionais e pode configurar ato de improbidade administrativa.
A determinação de Bolsonaro foi confirmada pelo porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros. Segundo ele, o presidente ordenou ao Ministério da Defesa que faça as "comemorações devidas" pelo aniversário do início do regime militar.
Em ação civil pública contra a União, a DPU afirma que a ditadura militar violou diversos direitos e garantias fundamentais dos brasileiros. A Defensoria lembra que o regime promoveu assassinatos, torturas, prisões arbitrárias e cassações de políticos, funcionários públicos e dirigentes sindicais.
Para a DPU, a ordem de Bolsonaro viola o princípio da legalidade. Isso porque a Lei 12.345/2010, estabelece que a instituição de datas comemorativas que vigorem em todo território nacional deve ser objeto de projeto de lei.
"Resta claro, portanto, que caso o presidente decidisse instituir uma nova data comemorativa nacional seria necessário, no mínimo, uma convergência de vontades, respeitando o princípio da separação de poderes, previsto no artigo 2º do nosso texto constitucional. Considerando que o pilar democrático é a harmonia e independência entre os Poderes, não poderia o Chefe do Executivo, deliberadamente, incentivar ou permitir comemorações oficiais ao arrepio da lei, do Congresso Nacional e, em ultima escala, da sociedade", alega a Defensoria.
A determinação do presidente para que as Forças Armadas comemorem os 55 anos do golpe militar também viola o princípio da moralidade, sustenta a DPU. Afinal, destaca a entidade, a medida "é ofensiva à memória de todas as pessoas que foram perseguidas, torturadas e assassinadas no período ditatorial brasileiro".
A DPU também ressalta que o comando de Bolsonaro fere o direito à memória e à verdade e estimula novos golpes, colocando em risco o Estado Democrático de Direito.
Dessa maneira, a Defensoria pede que liminar para proibir a União de promover comemorações de aniversário do golpe militar e de gastar recursos com esse objetivo.
A intenção de Bolsonaro também foi questionada em ações populares.
Nota do MPF
Já o MPF, por meio da Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PFDC), afirma em nota que "festejar um golpe de Estado e um regime que adotou políticas de violações sistemáticas aos direitos humanos e cometeu crimes internacionais" é "incompatível com o Estado Democrático de Direito".

A Procuradoria lembra que, se Bolsonaro apoiasse um golpe militar nos dias de hoje, ele praticaria crime de responsabilidade – que motiva a abertura de processo de impeachment.
"O golpe de Estado de 1964, sem nenhuma possibilidade de dúvida ou de revisionismo histórico, foi um rompimento violento e antidemocrático da ordem constitucional. Se repetida nos tempos atuais, a conduta das forças militares e civis que promoveram o golpe seria caracterizada como o crime inafiançável e imprescritível de atentado contra a ordem constitucional e o Estado Democrático previsto no artigo 5°, inciso XLIV, da Constituição de 1988. O apoio de um presidente da República ou altas autoridades seria, também, crime de responsabilidade (artigo 85 da Constituição, e Lei 1.079, de 1950). As alegadas motivações do golpe – de acirrada disputa narrativa – são absolutamente irrelevantes para justificar o movimento de derrubada inconstitucional de um governo democrático, em qualquer hipótese e contexto."
A Comissão Nacional da Verdade concluiu que agentes da ditadura militar assassinaram ou desapareceram com 434 pessoas e 8 mil índios, recorda o MPF. Além disso, prenderam ilegalmente e torturaram entre 30 mil e 50 mil pessoas. Portanto, comemorar o dia do golpe militar pode caracterizar ato de improbidade administrativa, diz o órgão.
"Festejar a ditadura é, portanto, festejar um regime inconstitucional e responsável por graves crimes de violação aos direitos humanos. Essa iniciativa soa como apologia à prática de atrocidades massivas e, portanto, merece repúdio social e político, sem prejuízo das repercussões jurídicas. Aliás, utilizar a estrutura pública para defender e celebrar crimes constitucionais e internacionais atenta contra os mais básicos princípios da administração pública, o que pode caracterizar ato de improbidade administrativa, nos termos do artigo 11 da Lei 8.429, de 1992."
Clique aqui para ler a íntegra da petição da DPU.

Clique aqui para ler a íntegra da nota do MPF.

Unifarma Bento sorteia cinta modeladora nesta quinta-feira (28)

A Unifarma Bento sorteará para os seus clientes e amigos uma Cinta Modeladora. Para concorrer basta seguir as regras : 
  • Curtir a foto oficial do sorteio 
  • Seguir nosso perfil no Instagran  (@unifarmabento)
  • Marcar 3 amigos nos comentários ( Não vale perfis fakes, repetir perfis , nem marcar perfils famosos. Quanto mais comentar mais chance tem de ganhar 
  • Sorteio válido apenas para clientes e São Paulo Potengi e região. 
  • O sorteio será realizado dia 28/03/19 

Boa sorte !!

terça-feira, 26 de março de 2019

São Paulo do Potengi realiza 6ª Conferência Municipal de Saúde

Resultado de imagem para simbolos do sus
Nesta quarta-feira, 27 de março das 8 horas às 17 horas na Câmara Municipal de nossa cidade será realizada a 6ª Conferência Municipal de Saúde de São Paulo do Potengi com o tema: "Democracia e saúde: Saúde como direito, consolidação e financiamento dos SUS. 

O evento é uma realização do Conselho Municipal de Saúde e de outras instituições parceiras.

A solidariedade dos potengienses com a famíli Brito, pelo falecimento de Dona Mariquinha dos Pastéis

Muito bonita a solidariedade dos potengienses  a família Brito pelo falecimento de Dona Mariquinha dos Pásteis, ocorrido na noite do último domingo (24), em nossa cidade. Sinal de que ela era uma pessoa querida na nossa comunidade. A seguir os comentários que nossos leitores enviaram ao blog se solidarizando com a família enlutada, destacando a mulher lutadora que era Dona Mariquinha Brito.
  1. -parabéns silvério,grande guerreira,uma das mulheres de exemplo de vida,uma das primeiras pasteleiras de sao paulo do potengi,mulher de fé e de coragem,de uma família exemplar,manoelzinho brito,george e jane ex vigilante do banco,pesames a familia brito!
  2. -pesames familia brito,grande mulher,todos os dias vou ai de manhã lanchar aquele saboroso pastel,amo de coração esta mulher guerreira vá com deus dona mariquinha!
  3. -vá com deus para a eternidade,deus lhe der conforto,mulher simples de fé e coragem,sempre estou lá pelas manhãs com meus amigos e funcionários,pesámes a familia brito!
  4. -soube a pouco pela manhã,aqui em riachelo era bastante conhecida pois todos os dias quando vamos a são paulo do potengi para resolver alguma coisa a dona mariqinha e parada obrigatoria va com deus dona mariquinha!
  5. -soube a pouco pela manhã,aqui em riachelo era bastante conhecida pois todos os dias quando vamos a são paulo do potengi para resolver alguma coisa a dona mariqinha e parada obrigatoria va com deus dona mariquinha!
  6. -que deus ilumine a senhora aonde estiver dona mariquinha,vamos sempre lembrar da senhora aonde estiver,vá com deus! deus de conforto a sua familia!
  7. grande exemplo de vida,desde criança eu sempre fui assidua de sua pastelaria,melhor pastel da cidade,preços agradaveis e ambiente sempre animado e cheio,vá c
    1. -soube a pouco pela manhã,aqui em riachelo era bastante conhecida pois todos os dias quando vamos a são paulo do potengi para resolver alguma coisa a dona mariqinha e parada obrigatoria va com deus dona mariquinha!
      1. -que deus lhe der conforto dona mariquinha,grande mulher guerreira e de fé,sempre vou ai comer aquele pastel quentinho,melhor da cidade que deus ilumine a senhora pesames a familia brito!
      2. Meus pêsames a toda familia Brito, e que Deus o tenha em um bom lugar.
      3. -meus sentimenstos soube hoje aqui em parnamirim meus pêsames,comi muito pastel e cochinha ai,que deus lhe der conforto!
      4. -sempre atendia os clientes com carinho e alegre,melhor pastel de spp sem duvida,e preços agradaveis,meus pêsames a toda familia!
      5. pastor antônio marcos25 de março de 2019 21:17
        -vá com deus dona mariquinha jamais esquecerei sua alegria e o jeito de fazer amizade com as pessoas,que deus lhe der conforto,que deus tenha em um bom lugar,melhor lugar,sempre atenciosa com os fregueses e seu jeito alegre de atender as pessoas!
      6. -são paulo do potengi perdeu uma grande mulher e xemplo de vida e dedicação ao trabalho que lhe exercia um papel fundamental a sociedade de sao paulo do potengi,vá com deus mulher guerreira e de fé que deus lhe der conforto!
      7. -que deus dona mariquinha lhe der conforto,esta na vida eterna,grande mulher exemplar a familia e a seu trabalho.sempre atendia com carinho,esteja na paz de nosso senhor jesus,vá com deus!
      8. -soube hj pela manhã aqui em natal,que deus lhe der conforto dona mariquinha,que a familia brito tenha meus sentimentos,melhor pastel de sao paulo do potengi,estive ai no natal ano passado.
      9. -aqui em macapá todos estao sabendo a partida eterna de dona amriquinha dos pastéis,grande mulher guerreira e de uma história encrivel,va com deus dona mariquinha,e toda familia brito tenha meus pêsames
      10. richardson guedes25 de março de 2019 21:30
        -que deus lhe der conforto,meus pêsames a família brito,que deus tenha em um bom lugar, que a senhora dona mariquinha esteja na mãos de deus!
      11. jaqueline galvincio25 de março de 2019 21:32
        -dona mariquinha grande mulher que deus lhe der conforto,que a senhora esteja num bom lugar de paz e eternidade,exemplo de mulher guerreira e alegre,meus sentimentos a família brito!
      12. -mulher de luta e de boas amizades,família exemplar e de uma história de lutas e grandes conquistas sempre determinada no trabalho e sempre feliz sabia fazer amizades e atendimento muito ótimo,que deus dona mariquinha lhe der conforto!

MULTICLÍNICA LAPAC

MULTICLÍNICA LAPAC

UNIFARMA BENTO

UNIFARMA BENTO

Auto Escola São Paulo

Auto Escola São Paulo

Arquivo

.

.

.

.
Tecnologia do Blogger.