domingo, 6 de março de 2016

Após um ano sem Pedro Raimundo, a confiança na Vida Eterna permanece a mesma

Transcrevo o texto que fiz em homenagem ao meu avô Pedro Raimundo, por ocasião do seu falecimento, ocorrido há um ano, no dia 06 de março de 2015. Hei de republicá-lo todo dia 06 de março, em lembrança do patriarca. 

Meu avô, meu pai e eu

Por Silvério Filho (texto originalmente publicado em 07.03.15, um sábado)

O meu avô Pedro, pai do meu pai, faleceu na última sexta-feira, aos 89 anos. Católico convicto, quando a consciência falhava por força da idade avançada, poderia esquecer de tudo, mas não esquecia de clamar pela Misericórdia de Deus e pela Santa Intercessão da Virgem Imaculada.

A dor da perda de um ente querido é inevitável. Perdemos uma pessoa que muito nos ensinou com sua sabedoria e simplicidade, e com sua fé inquebrantável em Deus, em Nossa Senhora e nos ensinamentos da Igreja. Porém, justamente por termos recebido tais ensinamentos, é que devemos também nos alegrar por sua partida, afinal é na morte que Deus chama o homem a si.

Como bom cristão, meu avô cria na vitória do Messias sobre a morte. Compactuava com um importante padre dos tempos antigos, Tertuliano, segundo quem "a confiança dos cristãos é a ressurreição dos mortos; crendo nela, somos cristãos". 

Deste modo, temos que sentir por nosso ente querido o que São Paulo sentiu em Fl 1, 23, ou seja, que ele partiu para estar com Cristo. Temos que compreender que, como bem disse Santa Tereza do Menino Jesus, não se morre, entra-se na vida.

Sendo assim, não devemos ficar tristes. Creiamos no que o próprio Pedro Raimundo cria e que nos ensinou desde sempre; acreditemos na promessa de Cristo, muito bem expressa na Santa Liturgia: "Senhor, para os que creem em vós, a vida não é tirada, mas transformada. Desfeito nosso corpo mortal, nos é dado, nos céus, um corpo imperecível".

Para terminar, faço a pergunta que São Paulo fez em 1 Coríntios, 15, 55: "Onde está, ó morte, a tua vitória?". Respondo: não há vitória da morte, pois Cristo a venceu para que nós também pudéssemos vencê-la. Não tenho nenhuma dúvida que meu avô, que educou toda a família na fé católica, que amava a Deus e a Maria Santíssima, por graça de Cristo também venceu a morte e já está na presença de nosso Senhor.

0 comentários:

Postar um comentário

Sua postagem dependerá do Moderador do Blog.

Não publicamos comentários sem assinatura (Anônimos).

Obrigado pelo comentário. Sua ajuda faz nosso trabalho melhor.
_____________________________
Equipe do Blog do Silvério Alves

Arquivo

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.
Tecnologia do Blogger.